O maior adversário

Há apenas um ano e meio da Copa de 2014, o Brasil não possui ainda uma seleção. Difícil encontrar um jogador que tenha sido regularmente convocado para as partidas. Certo, estamos em um momento de reformulação. Mas a dita reformulação, não funciona assim. Não muda de uma hora para outra. Nada na vida muda.

As diversas peças testadas por Mano e agora por Felipão, não são más. Alias, são bons jogadores em sua grande maioria. Tanto que grande parte joga em grandes clubes da Europa. Mas o que falta à seleção do Brasil não é tanto a qualidade. É mais a vontade de vencer! A honra de vestir a ‘amarelinha’.

Os jogadores de hoje em dia, não tiveram que sofrer muito para conquistarem a primeira vaga na ‘seleça’. E como sabemos, tudo que vem fácil, não damos valor. Existem jogadores que sequer fizeram algo expressivo em suas carreiras para serem convocados. Pelo menos 4 jogadores poderiam ser riscados desta convocatória de Felipão, sem problema nenhum. Arouca, Filipe Luís, Leandro Castán, Miranda…E por ai vai. O Brasil produz melhor do que isso, nessas posições. E em outras também. Mas, vamos com calma! Ontem foi apenas o primeiro jogo. A primeira partida da seleção comandada por Felipão, em 2001, O Brasil perdeu por 1 a 0, contra o Uruguai. E acabou como sabemos – Brasil campeão em 2002.

Dentro de um ano e meio, o Brasil terá pela frente o maior desafio de sempre. Um time desacreditado, com um futebol pouco convincente jogando uma Copa do Mundo dentro de casa.

Poderá ser a maior vergonha de todos os tempos. O repeteco do ‘Maracanazzo’ . Mas poderá ser também o maior marco na vida de todos estes jogadores que ontem envergaram o manto canarinho. Basta que, para isso, eles queiram vencer! Porquê jogar, o Brasil sabe.

Igor Costa
Copyright © 2012 O Bom Jogador .