Flamengo x Botafogo

Equipe do Flamengo comemora o Gol.
Hoje, após a vitória no clássico sobre o Botafogo por 1 a 0, no Engenhão, que, a propósito, recebeu bom público, o Flamengo obteve matematicamente o primeiro lugar do seu grupo na Taça Guanabara como também a melhor campanha geral, o que lhe dará direito de chegar à semifinal (e final, se passar) tendo o empate a seu favor.

O clássico de hoje marcou a estreia de Carlos Eduardo com a camisa 10 rubro-negra. Cadu, como é chamado, jogou apenas o primeiro tempo. Sentindo os mais de dois meses sem jogar partidas oficiais, o meia-atacante teve uma exibição apenas modesta. Muito lento nas saídas de bola, sentiu a falta de ritmo e de entrosamento com os demais companheiros do meio e do ataque. Apesar de ter desempenhado bem a função tática que Dorival Jr. lhe designou, permanecendo a maior parte do tempo na lado direito do campo, podemos dizer que não foi a estreia que a torcida esperava para o seu futuro camisa 10.

Por falar em camisa 10, é importante destacar o desempenho de Seedorf neste jogo. Ele se movimentou, marcou, criou e em algumas oportunidades arrematou em gol. Seu time, sentindo a falta de volantes marcadores e jogando com dois meias improvisados neste setor defensivo, apesar de ter jogado de igual para igual com o Flamengo na maior parte tempo, e em diversos momentos também ter sido até um time melhor ofensivamente, sofreu pela vulnerabilidade da sua defesa, que teve um Márcio Azevedo muito mal na marcação do garoto Rafinha, do Flamengo.
Seedorf sempre perseguido pelo 'Pit Bull' Vitor Carceres.
O clássico foi aberto, porque também o Flamengo demorou para estabilizar a sua defesa. Após ter aberto o placar logo cedo, com Hernane na grande área aproveitando uma sobra de escanteio, o time de Dorival penou com os sucessivos ataques botafoguenses liderados na maior parte das vezes por Seedorf. A equipe rubro-negra conseguiu estabilizar minimamente seu setor defensivo e ganhar mais mobilidade no meio-campo com a entrada do garoto Rodolfo no lugar de Carlos Eduardo. Assim, o Flamengo conseguiu boas investidas nos contra-ataques e teve por diversas vezes a chance de ampliar o placar, tendo no gol perdido por Rodolfo, que driblou o goleiro e chutou inacreditavelmente para fora, o lance mais óbvio.

Foi um jogo corrido e ofensivo, no qual as duas equipes se dispuseram a criar jogadas mais do que destruir a de seu adversário. Esperava-se mais de nomes como Carlos Eduardo e Rafinha pelo lado do Flamengo, e do garoto Bruno Mendes, pelo Botafogo, mas é preciso paciência com jogadores novos ou, no caso de Carlos Eduardo, jogadores que estão em fase de readaptação ao futebol brasileiro. O ano só está começando, mas, pelo que foi exibido hoje no Engenhão, há grandes chances de haver ótimos clássicos no decorrer da temporada.

Ederval Fernandes
Copyright © 2012 O Bom Jogador .